26 de janeiro de 2011

José Alencar, mais que um exemplo de resistência...UM ALERTA!!!

Homenageado ontem pela Prefeitura de São Paulo, o ex-vice-presidente José Alencar disse que continua na luta para sobreviver e que a morte lhe será “um privilégio”.

Se eu morrer agora será um privilégio. Não posso me queixar. A situação está tão boa que não tem como melhorar, todo mundo está rezando e torcendo por mim, tenho que continuar a minha parte, lutando para não morrer”.

José Alencar, que recebeu a medalha comemorativa 25 de Janeiro pelo aniversário de 457 anos de São Paulo, está na luta contra o câncer há mais de uma década.
Não está totalmente bem, por isso permanece em tratamento de quimioterapia.
Ontem completou 90 dias de internação hospitalar, período no qual passou por algumas complicações sérias, entre elas um edema pulmonar e um infarto do miocárdio.

Foi Dilma que lhe entregou a medalha 25 de Janeiro. Disse que o ex-vice é um exemplo de dignidade na luta pela vida.
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, também discursou: “Trata-se de uma justa homenagem a um grande brasileiro, que honrou nosso país como um homem público, empreendedor e apaixonado pela vida.”
Já o prefeito Kassab, cometeu uma gafe, chamou Dilma de vice-presidente, mas a petista foi rápida na resposta: “José Alencar hoje é, de fato, a figura do protocolo mais importante aqui presente”.
Então...
José de Alencar é realmente um grande exemplo de força, coragem, perseverança, esperança... ele não desiste nunca, mesmo!!! Já vi muitos, com menos idade e muito mais saúde, dizerem que “a morte é o que resta”... e que “depois de uma certa idade não se pode esperar muito da vida”... O ex-vice-presidente derrubou esse tabu, pois aos 80 anos vem dando um “olé” no câncer. Parabéns!!!
mas quem é José Alencar?
É um dos maiores empresários do estado de Minas Gerais, sendo a Coteminas, empresa do ramo textil, sua principal empresa (hoje são onze unidades que fabricam e distribuem fios, tecidos, malhas, camisetas, meias, toalhas de banho e de rosto, roupões e lençóis para o mercado interno, para os Estados Unidos, Europa e Mercosul).
Na política, foi:
Presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais
Presidente da FIEMG, SESI, SENAI, IEL, CASFAM
Vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria
Candidatou-se às eleições para o governo de Minas Gerais em 94 e em 98, disputou uma vaga no Senado Federal, elegendo-se com quase três milhões de votos. Foi presidente da Comissão Permanente de Serviço de Infra-Estrutura - CI, membro da Comissão Permanente de Assuntos Econômicos e membro da Comissão Permanente de Assuntos Sociais.
Polêmico, discordou do governo quando a política econômica defendia a adiministração do ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci, que tinha nos juros altos a tentativa de conter a inflação e manter a economia sob controle.
Em 2004, acumulou a vice-presidência com o cargo de Ministro da Defesa. 

Diversas vezes monstrou-se reticente quanto à sua permanência em um cargo tão distinto de seus conhecimentos empresariais, mas a pedidos do presidente Lula, exerceu a função até março de 2006, quando renunciou as determinações legais com o intuito de poder participar das eleições.

Sinceramente... Não o conhecia.
Não sabia da sua história e não me lembro de tê-lo visto tanto como nos últimos tempos, ou seja, desde que se tornou pública a sua batalha contra a doença.

Ignorância minha, com certeza... Passei a acompanhar a história de José Alencar por conta do destaque que a mídia deu ao seu histórico médico: 15 cirurgias (uma delas com duração superior a 20 horas) e o tratamento experimental nos Estados Unidos.

Não estou aqui para desaboná-lo, mas sim para questionar:

Quando é que a saúde brasileira ganhará uma “medalha” por ser de qualidade, por dar ao povo o direito da certeza que persistir vale a pena? 

Tomo o ex-vice como referencia, pois são discrepantes as diferenças...

A Saúde no Brasil é tão precária, tão destratada, tão abandonada, que não dá para ter o mesmo otimismo do Sr. José Alencar...
Faltam médicos, enfermeiros, hospitais, leitos, equipamentos, limpeza, treinamentos, atendimentos, educação, gentileza, humanidade...

Neste caso melhor é morrer em casa, porque se a morte é certa, que seja minha...

Políticos vão, políticos vem e todos eles, em suas campanhas, apontam problemas e prometem soluções, mas é só tomar posse do cargo que os problemas desaparecem dando lugar a famosa “vista grossa” por no mínimo 04 anos...

Será que José Alencar resistiria tanto se seu tratamento fosse pelo SUS?

Você já sabe a resposta eu também... Isso me revolta, mexe com minhas  fibras... Porque é a nossa realidade e sinceramente (sou muito sincera), não tenho esperança de que isso mude tão cedo!!!

Bonito seria se no momento da homenagem, a saúde brasileira estivesse presente, ao invés das tecnologias que só o dinheiro pode comprar e que você e eu, que somos o povo, não temos acesso... Se os créditos fossem dados ao nosso Sistema de Saúde, que promete cuidar de todos, porque é Único...

Aí sim, a fala “Se eu morrer agora será um privilégio” - do ex-vice, caberia bem, e bem mais bonita, na solenidade... Mas enquanto isso, milhares de brasileiros morrem sem o direito de tentar...

Nota: 
Enquanto José Alencar recebia sua medalha, o, distraído, prefeito Kassab foi alvo de manifestação... Na reinauguração da biblioteca pública Mário de Andrade, estudantes contrários ao aumento da tarifa de ônibus, furaram o bloqueio da segurança e invadiram o local, interrompendo o discurso de um aliado do prefeito, o ex-governador José Serra (PSDB).

Adivinha como a história acabou? 

Eles se esquecem que os manifestos de hoje, são os mesmos de ontem... Mas ontem,  os protagonistas eram outros... No caso Eles...  

Nenhum comentário:

Postar um comentário