19 de novembro de 2011

Entre o coração e a razão...

O mundo é muito cruel, vivemos na loucura de sermos melhores do que podemos ser... É a exigência da contemporaneidade, uma disputa que parece nunca ter fim... 

Hoje, perde quem não tem, porque vive se alimentando de ilusões. A queda para a realidade é um fato e machuca... Só o tempo cura, ou aumenta, a dor... 

Doí quando se fez de tudo e mais um pouco e, mesmo assim, não foi o suficiente... 

Dói o encontro com as próprias limitações... 

Somos muito limitados... 

Nos limitamos a conhecer, a aprender... 

Nos limitamos em não reconhecer os próprios limites... 

Nos limitamos a amar!!! 

Dispomos apenas fragmentos do que somos com medo de perder o que temos, mas o que realmente podemos chamar de nosso nesta vida??? 

Nada além do que somos!!! 


A posição, que lutamos uma vida para alcançar, nos limita a uma única perspectiva, porque lá, do prisma, geralmente, esquecemos o trajeto percorrido e as paralelas estabelecidas são mais frequentes que as perpendiculares... 

Muitas coisas se perdem... Pequenos gestos... Olhares... Palavras... Sentimentos... 

E o ponto de partida fica cada vez mais distante...



São as prioridades e cada um sabe bem por onde caminham as suas...  


A distância entre as pessoas é medida na qualidade e na durabilidade dos  sentimentos...

Sofremos por querer estar além do que sentimos... 

Mas Deus, na sua infinita bondade e justiça,  nos coloca no lugar certo, com as pessoas certas e no momento exato que estamos preparados para aprender as grandes lições da nossa vida... 

Ouvir o coração com razão e dar razão a voz do coração é o que compete os que desejam mudança... 

*Estou precisando de umas aulas... 

O universo é movimento 
e por que teimamos em ficar parados??? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário